You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.

Fanáticos da Geral: paixão que vem das arquibancadas

O que é o futebol sem a torcida? Convenhamos que não tem muita graça, não é mesmo? Pois é preciso paixão para poder pulsar e fazer emocionar. Com seus 82 anos de história, o Esporte Clube São Luiz cativou muitas pessoas que se identificam com o clube, que por sua vez, é o querido e mais amado de Ijuí e região, pois representa a força do seu povo e do futebol do interior, trazendo-lhe cada vez mais admiradores, sejam eles desde a infância ou até mesmo aqueles que se apaixonam pelo caminho, portanto, é por esse amor em comum que lá em 2005 um grupo de pessoas se uniu e fundou a Torcida Organizada Fanáticos da Geral.

Era 2005 quando o São Luiz havia retornado à elite do futebol gaúcho, e no final daquele ano, amigos, pessoas que torciam para o Rubro e que estavam sempre no 19 De Outubro, tinham o desejo de ter uma  torcida organizada, como Leleco, um dos fundadores e que ainda colabora com a torcida. “Definimos por fazer um movimento organizado, com bandeiras, faixas, instrumentos para apoiar o clube e viajar para outras cidades acompanhar o time”, conta.

A partir da definição da torcida organizada, era preciso um nome forte que identificasse a torcida alvirrubra, portanto, surgiram várias possibilidades, porém prevaleceu Fanáticos da Geral, por remeter ao local do estádio em que frequentavam – arquibancada da geral, e fanáticos, porque todos são torcedores fanáticos pelo São Luiz, então assim surgiu a Torcida Organizada Fanáticos da Geral.

De acordo com Leleco a ideia foi divulgada para amigos, e entre uma conversa e outra mais pessoas demonstraram interesse em juntar-se a Fanáticos da Geral, que implantou no Estádio 19 de Outubro um novo jeito de torcer.

“Então 2006 foi nosso primeiro ano, tudo muito novo, uma nova forma de torcer dentro do estádio, porque até então o São Luiz teve outras torcidas organizadas, porém ao estilo charanga, que são instrumentos e bandeiras, mas não tinha cânticos. Portanto, estabelecemos essa nova forma de torcer, com música, cânticos, letras, e melodias próprias e assim começou há quase 15 anos, a Torcida Organizada Fanáticos da Geral”, conta Leleco.

Por esse jeito novo de torcer utilizando papel picado, fumaça vermelha, bandeiras, muita música e instrumentos de percussão, a torcida Fanáticos da Geral teve destaque na região, o que lhe possibilitou ganhar ênfase na imprensa local.

Conforme Leleco, ao logo dos anos a Torcida teve mais adesão de pessoas e em pouco tempo tornou-se a maior da região noroeste do estado com até 500 integrantes. Atualmente, a torcida se transformou em uma associação que se chama Associação Torcida Organizada Fanáticos da Geral. “É uma Associação onde cobramos uma mensalidade de R$ 10,00 (dez reais) para contribuir com as ações que fizemos, como arrecadação de alimentos, confecção de cestas básicas a fim de ajudar quem mais precisa, além disso, doamos também ração para cães e gatos”, destaca Leleco.

Portanto, todas as ações que a Fanáticos da Geral realiza, tem o intuito de ajudar alguém, então não é somente futebol. O esporte obviamente os une, mas as questões sociais também são importantes e tratadas com seriedade pela torcida.

Para o futuro o objetivo é manter a Associação, visando aumentar o número de participantes, pois atualmente são 100 pessoas que trabalham pela torcida, auxiliando com a realização de almoços, jantares, confraternizações, ações sociais e com as viagens, pois a Fanáticos sempre acompanha o Rubro também fora de Ijuí, mostrando que além da paixão em comum pelo São Luiz, a Fanáticos da Geral também nos mostra um valor muito forte: a união.

A torcida é composta de amigos, famílias, idosos, mulheres, homens e crianças, portanto, abrange todos os gêneros, idades e classes sociais, sem distinção. “A torcida se mobiliza a cada ano para aumentar o seu número de integrantes, por isso, deixamos aberta essa possibilidade, quem quiser participar não tem nenhuma exigência, exceto a mensalidade de R$10,00 para contribuir com as ações e também ajudam na realização do almoço, então quem paga esse valor, se tem um almoço no mês, vai pagar um valor diferenciado na refeição”, comenta Leleco.

Além disso, a mensalidade também contribui para as viagens da Fanáticos da Geral que acompanha o São Luiz em quase todos os jogos fora de Ijuí, seja com ônibus ou micro-ônibus, pois a ideia é sempre estar presente com as faixas e instrumentos para o time se sentir incentivado mesmo jogando fora da cidade.

“Com o ano de 2020 incerto para todos devido a pandemia do coronavírus, o intuito é aumentar o número de participantes, mais pessoas para contribuir, ajudar e torcer para o nosso clube da cidade, que é o clube que realmente nos representa, o município de Ijuí e a região noroeste do estado”, finaliza Leleco.

Vale ressaltar que a Torcida Organizada Fanáticos da Geral não possui presidência há dois anos, pois a torcida trabalha coletivamente na busca de recursos, organização da banda, bem como, ações sociais.  

Já Marcelo, integrante da Fanáticos da Geral desde 2011, participou da primeira edição do quadro A Cara do Gauchão do Globo Esporte realizado pela RBS TV. Na época representou o Esporte Clube São Luiz e toda a torcida alvirrubra. “Eu achei interessante participar do quadro A Cara do Gauchão, gostei de fazer porque foi uma honra representar o São Luiz como torcedor e também a Fanáticos da Geral, foi divertido, uma experiência nova em frente às câmeras. Lembro que falei sobre a torcida, a minha paixão pelo São Luiz desde pequeno que eu ia aos jogos, não deu para ganhar, ficamos em 5º lugar, quem ganhou foi o Padre Ceron do Internacional”, relembra Marcelo.

Desde 2011 quando começou a participar da Fanáticos da Geral, Marcelo só não foi em duas excursões, e durante os anos que morou longe de Ijuí acompanhava os jogos do Rubro através das rádios. “Uma das partes que eu mais gosto é ir com a Fanáticos nas excursões acompanhar o São Luiz fora de casa, pois a gente sempre faz aquela torcida em pouco número de integrantes já que estamos em outra cidade, mas representando o São Luiz, cantando juntos, apoiando o time e incentivando os jogadores”, conta Marcelo.

Esse torcedor fanático conta que várias vezes perdeu a voz de tanto cantar e apoiar o Rubro. “É divertido porque a Fanáticos é uma turma de amigos também que tem em comum o amor pelo São Luiz, o amor em estarmos juntos apoiando o time, seja no 19 de Outubro ou fora de Ijuí”, destaca. Além disso, de acordo com Marcelo, a Fanáticos está sempre unida, cantando a uma só voz a fim de ser o décimo segundo jogador em campo, para que os jogadores se sintam mais confiantes e incentivados, e que tem uma torcida que zela por eles e que os apoia incondicionalmente.

Marcelo conta que começou a tocar o instrumento bumbo, os integrantes da banda reuniam-se na garagem de sua casa para ensaiar. “Ensaiamos alguns cânticos e muitas vezes nos reunimos na garagem da minha casa para fazer alguma letra de música, inventar algum ritmo que a gente pudesse cantar e tocar na hora do jogo, muitas músicas a gente criou aqui, e os vizinhos se apavoravam pelo barulho”, comenta.

Ser da Fanáticos  de acordo com Marcelo, é vibrar juntos na mesma emoção, torcida e jogadores. “A gente sente aquela emoção junto com o jogador, é aquele amor pela torcida, amor pelo clube, pelo time, então é uma alegria estar no Estádio assistindo a partida, torcendo junto com o Rubro, pois sempre que estou no estádio me sinto muito feliz, e realizado em estar junto com a Fanáticos incentivando o São Luiz”, comenta.  

Os integrantes da Fanáticos da Geral se reúnem para discutir novas ideias para torcida, como fazer uma faixa por exemplo. Marcelo relembra a homenagem que a Fanáticos fez ao Seu Alberi.

“O Seu Alberi foi nosso incentivador, sempre apoiou a Fanáticos, então todos nós da torcida Fanáticos sempre o levaremos no coração por esse reconhecimento e parceria que tinha conosco, por isso, escrevemos naquela bandeira, Seu Alberi Eterno”, conta Marcelo.

Participar da Fanáticos significa para Marcelo a integração entre os amigos, a união e o espírito coletivo de incentivo aos jogadores, pois é uma alegria estar no estádio torcendo pelo alvirrubro. Além disso, ele conta sobre as excursões e de que modo a torcida se organiza.

“Apesar das dificuldades, sempre vai sair alguma excursão, pois às vezes se torna caro nos deslocarmos para uma cidade mais longe, devido ao custo, então geralmente organizamos o tradicional PL, pão com linguiça que a Fanáticos faz, e eu acho legal que as pessoas também ajudam sempre que podem, como comprando cachorro-quente, por exemplo, que a gente faz com todo amor e carinho para conseguir algum recurso que possa nos ajudar nas passagens”, conta.

Essa união da comunidade ijuiense fortalece ainda mais a Fanáticos da Geral e o Esporte Clube São Luiz, pois têm respeito pelo clube e reconhecem o esforço que a torcida faz para acompanhar o Rubro nos jogos fora da cidade.

“É uma alegria participar da Fanáticos da Geral e se Deus quiser, enquanto tiver forças e meu corpo permitir, sempre vou participar cantando, pulando, incentivando e fazendo a festa junto com os outros torcedores”, finaliza Marcelo.

Assim, concluímos mais uma grande história. É um orgulho para o Esporte Clube São Luiz ter torcedores fanáticos e apaixonados, que são engajados em prol do clube, do futebol do interior, valorizam a cidade, a região e ainda contribuem com ações solidárias na esperança de uma sociedade e comunidade melhores. Então Fanáticos da Geral, tu és exemplo de amor, paixão e solidariedade.

 

Pos
Time
J
V
E
D
S
P:7
Patrocínio